Portugal, Outubro de 2014

4676740120_c0d53c63cc_z

Ainda estou meio azamboado. Depois de ver as noites informativas da RTP1 desta semana, até fiquei tonto. Estou particularmente orgulhos de ser tuga, hoje. Ou então, vai-se a ver, e não estou!
Um pequeno resumo do que, de acordo com o Telejornal e com o Sexta às 9, se passa neste nosso rectângulo à beira mar plantado:

  1. O BES (aka Novo Banco) morreu. OK, disso todos nós já sabemos. Mas a administração (e respectiva pandilha de membros da família Espírito Santo) não fazia ideia da situação em que o grupo se encontrava. Ao que parece o responsável pelas contas do Banco (e Grupo) Espírito Santo falseava números desde (se a memória não me falha) 2009 (teria sido por iniciativa própria? Acredito tanto nisso como no coelhinho da páscoa). O que quer dizer que, um dos maiores grupos económico-financeiros do País, andava na merda há, pasme-se, 5 anos. Sem que nem regulador do sistema financeiro, nem governo, nem ninguém nesta mísera terra fizesse ideia do que se passava. Alguém se lembra do BPN? Pois, parece-me que vamos pelo mesmo caminho. Assim de repente são 6 mil milhões de Euros de buraco cuja factura, inicialmente, segundo o nosso estimado Governo da República, não seria o Zé Povinho a pagar. Agora parece que o Fundo de Resolução do BES, do qual faz parte a CGD, vai sofrer “perdas inevitáveis” (diz o o sacana do Coelho). Perdas essas que, da parte estadual (ou seja CGD) vão ser assumidas por quem?! Adivinharam! Eu e tu e todos os totós que, ao contrário dos Ricardos Salgados, Oliveiras e Costas e outros que tais, pagamos os nossos impostos!
  2. O BES (aka Novo Banco) está directamente envolvido naquela que será, talvez, uma das maiores desgraças que nos podia acontecer – a venda (que será mais que certamente feita ao desbarato) de uma das maiores empresas do país: a Portugal Telecom… Perdão, a  “PêTê Pórtugáu”. Que os filhos da mãe dos brasileiros da Oi, graças à trapalhada feita por um monhé e um Granadeiro (que mais valia ter comido granadas ao pequeno almoço) fizeram o favor de criar, através de associações (para ser simpático) semi-criminosas à RioForte e grupo BES. Já para não falar no negócio ruinoso para a empresa que foi a compra da Vivo e posterior fusão da PT com a Oi. Fusão? Não. Ingestão da PT pela Oi, sem tocar no céu da boca. Depois o monhé foi para lá mandar postas de pescada. E saiu corrido a pontapés, claro. Uma empresa que já foi um dos (senão mesmo O) motor da economia nacional (raios parta, o tarifário pré-pago foi praticamente inventado em Portugal, pela PT! Alguém se lembra do MIMO?!) vai, com toda a probabilidade, passar a falar francês.
  3. O BES (aka Novo Banco), e sus muchachos da família Espírito Santo, estarão envolvidos na aldrabice dos contratos para a compra de submarinos e outro equipamento militar a empresas alemãs. Nunca iremos saber se assim é porque, dado todos os indícios apontarem também para o envolvimento de membros do Governo (I’m looking at you, Paulo Portas”), a comissão de inquérito ao caso foi das mais rápidas da história e encerrou sem o assunto estar devidamente esclarecido e encerrado, com os responsáveis identificados e acusados.
  4. O ébola vai acabar com isto tudo. Ou então não. Ou então vai. Ou não! Porque há uma vasta lista (de 14 pessoas, vastíssima) em Espanha a serem observadas. Porque uma senhora auxiliar de enfermagem não tinha a formação necessária para lidar com doentes de ébola (ao que parece,em Espanha, ninguém tem). Sim, é uma situação preocupante. Mas é preciso fazerem disso um circo mediático?! Com grande parte dos telejornais a serem dedicados a mostrar como os profissionais de saúde em Portugal despem e vestem fatos de protecção?! E que existem salas com pressão negativa no Curry Cabral?! Sinceramente, o que retive deste caso em Espanha é que, mais uma vez, quem sofreu as consequências deste caso que surgiu em Espanha foi a própria senhora infectada, e as pessoas que com ela lidaram proximamente, e o cão da enfermeira. Ana Mato, Sra. Ministra da Saúde espanhola, os cães não são, nem nunca foram, susceptíveis à infecção pelo ébola. Ah, e mais: se houver algum surto epidémico a Constituição da República Portuguesa PROÍBE quarentenas! Ou seja, se o Director Geral da Saúde ordenar uma quarentena porque é necessária, na prática é um criminoso!
  5. O ano lectivo 2014/2015 é mentira! Foi tudo uma brincadeira do Nuno Crato que, guess what, qual carraça agarrada à chicha do animal enfermo que é Portugal, ainda é ministro da educação! E vai continuar a ser. Contra tudo e contra todos. Segundo um professor do Liceu Camões, qualquer aluno do sétimo ano é capaz de resolver o problema do algoritmo que está na base da aplicação de de colocação de professores, com conhecimentos básicos de estatística. Pelo caminho, vamos na terceira colocação de professores falhada, há pelo menos 150 professores que têm as vidas desgraçadas  – não faz mal, diz o Passos. São só 2%… E o que se está a passar não é uma ofensa para ninguém… Claro que não… Os alunos, que não têm aulas, não estão nada ofendidos por perder aulas de que vão precisar para os exames a que vão ser sujeitos no fim do ano. Os pais dos alunos que têm que perder dias de trabalho (e talvez o emprego) para cuidar dos filhos que não podem ficar na escola por não terem aulas. Os professores, que correm o país de Norte a Sul em busca de uma colocação (ainda por cima em condições precárias!), e são expulsos 3 semanas depois de serem colocados. Ninguém dessa gente está ofendida. Estão felizes e contentes, construindo altares e escrevendo cartas de amor ao Crato e seu ministério. Sim, porque o Sr. Nuno Crato, enquanto professor catedrático, sempre vociferou contra o Governo e ministérios da educação, por desrespeitarem a educação pública em Portugal. Depois de uma machadada destas, não quero ter filhos. Porque sei que vão ter estudar numa escola privada. E não há dinheiro para sustentar isso. Ah! E não esquecer que, nas palavras do Crato, “Os professores mantêm-se” e “Os professores manter-se-ão” são tão diferentes como o preto é do branco!
  6. O Estado de Citius que, segundo Maria José Morgado, pode provocar um atraso potencial de 5 (CINCO!!!!) anos na, já de si célere, justiça portugesa foi, nas palavras de Paula Teixeira da Cruz, um acidente. Um prato de lentilhas. Um problema que pode acontecer com qualquer aplicação informática. Pode. De facto pode. A um Windows ou Office doméstico. Podia acontecer um dia ou dois em qualquer empresa ou até numa plataforma como o Citius. Mas quando resulta de uma reforma do sistema judicial feita em cima do joelho e, ainda para mais (e por muito que Teixeira da Cruz o negue), com conhecimento do Ministério das consequências, ao nível do Citius, que dela advinham… É algo mais grave (só ligeiramente). Ainda para mais quando nos mentiram descaradamente sobre a reforma vs efeitos sobre a plataforma da justiça CITIUS.
  7. Tecnoforma e CPPC. Continua a novela. Quando é mais do que óbvio que Passos Coelho recebia, pelo menos, 5000 Euros mês enquanto esteve à frente da ONG. E, digam o que disserem, não passava de uma prostituta de luxo que abria portas e criava oportunidades de negócio à (já de si muito pouco honesta) empresa-mãe do CPPC
  8. A governação em Portugal é, cada vez mais, o “mêtier” de pulhas, aldradões, “meninos(as) mimados(as)”, e gente prepotentes e arrogantes, sem capacidade de admitir que falham e de assumir a responsabilidade pelos erros. I’m looking at you Nuno Crato, Paula Teixeira da Cruz, Poiares Maduro, Paulo Portas, Pedro Passos Coelho, António José Seguro, António Costa.
  9. A Selecção Sub-21 ganhou mais um jogo na caminhada triunfal rumo ao Euro da categoria. Como é que sei? A minha irmã foi ver o jogo, na Holanda e postou uma foto no Facebook com os meus sobrinhos e cunhado. Porque, na RTP1, só interessa a miserável Selecção A. Que teve a prestação vergonhosa de que todos, infelizmente, nos recordamos no Mundial do Brasil.

Assim de repente… É só. E já foi muito. O Jorge Palma, aqui em baixo, é que a sabia toda.

Portugal, Portugal – Jorge Palma

Tiveste gente de muita coragem
E acreditaste na tua mensagem
Foste ganhando terreno
E foste perdendo a memória

Já tinhas meio mundo na mão
Quiseste impor a tua religião
E acabaste por perder a liberdade
A caminho da glória

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Tiveste muita carta para bater
Quem joga deve aprender a perder
Que a sorte nunca vem só
Quando bate à nossa porta

Esbanjaste muita vida nas apostas
E agora trazes o desgosto às costas
Não se pode estar direito
Quando se tem a espinha torta

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Fizeste cegos de quem olhos tinha
Quiseste pôr toda a gente na linha
Trocaste a alma e o coração
Pela ponta das tuas lanças

Difamaste quem verdades dizia
Confundiste amor com pornografia
E depois perdeste o gosto
De brincar com as tuas crianças

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.