Abaixo do Cinto

A vida de vez em quando tem maneiras de nos dar umas. Abaixo do cinto.

Golpes baixos, sujos e desonestos, que derrubam e moem, destroem e magoam. É a vida a querer acabar contigo, dê lá por onde der.

Quando menos esperas, lá estás tu, outra vez no tapete.

Este filho da puta deste ano tem sido expert nessas agressões.
Tem-me atirado abaixo, vezes e vezes e vezes sem conta.
Não tem hesitado em esfregar-me a cara na lama.
Em agarrar nas ilusões, nos sonhos, nas esperanças, nas ideias e rebentá-las, qual agulha nas mãos do puto sacana que rebenta o balão do mais pequeno, só porque sim.

Às vezes dou por mim a pensar… Na verdade, tenho suportado estas merdas da vida a vida toda (passe a redundância).
E dou por mim e passar por muitas mais.
Todos os dias.
Das pequeninas às gigantescas. o sol que não brilha quando gostava que o fizesse à família que vai ficando cada vez mais pequena.
Desde a máquina de carregar passes avariada na estação quando precisamos dela ao choque e à dor das coisas que se vai descobrindo sem querer.

Tenho tido poucos motivos para sorrir. Muito poucos.

E é mesmo quando penso “Filha da mãe, que desta vez não me apanhaste!” e me dou ao luxo de sonhar com qualquer coisa, ou de pensar positivo (nem que seja por um segundo), de sorrir… Lá vem Ela, com um sorriso sardónico (sádico mesmo) nos lábios, dar-me mais um murro, tirar-me o chão debaixo dos pés, obrigar-me a “beijar o tapete”, esfregar-me a cara na lama. Destruir-me e levar-me mais um bocadinho. 

E às vezes mereço. Mesmo. Ou me ponho a jeito ou ajeitam-me. Ou sou eu mesmo que a provoco. Ou faço merda.

E aí é merecido.

And another one bites the dust
Oh why can I not conquer love
And I might have thought that we were one
Wanted to fight this war without weapons

And I wanted it, I wanted it bad
But there were so many red flags
Now another one bites the dust
Yeah let’s be clear, I’ll trust no one

You did not break me
I’m still fighting for peace

I’ve got thick skin and an elastic heart,
But your blade it might be too sharp
I’m like a rubberband until you pull too hard,
I may snap and I move fast
But you won’t see me fall apart
Cause I’ve got an elastic heart

I’ve got an elastic heart
Yeah I’ve got an elastic heart

And I will stay up through the night
Let’s be clear, won’t close my eyes
And I know that I can survive
I’ll walk through fire to save my life

And I want it, I want my life so bad
I’m doing everything I can
Then another one bites the dust
It’s hard to lose a chosen one

You did not break me
I’m still fighting for peace

I’ve got thick skin and an elastic heart,
But your blade it might be too sharp
I’m like a rubberband until you pull too hard,
I may snap and I move fast
But you won’t see me fall apart
Cause I’ve got an elastic heart

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.